Educador dá dicas de como falar sobre sexo com as crianças

Como falar sobre sexo com as crianças em cada fase da infância? Quais termos evitar? Veja as respostas para essas e outras dúvidas quando o assunto é sexo e o público é infantil, segundo César Nunes, 54, presidente da Associação Brasileira de Educação Sexual.

Como falar sobre sexo com as crianças em cada fase da infância?
César Nunes – Por volta dos quatro anos, as crianças começam a se perguntar de onde vieram. Quando meu filho tinha essa idade, contei que a mãe dele e eu juntamos o melhor de cada um para criá-lo. O pensamento nessa idade é fantasioso e egocêntrico, o que desperta interesse por histórias mágicas e que mostram o quanto a criança é querida.

 

 

E nas fases seguintes?
Perto dos oito anos, a criança já começa a prestar atenção no sexo oposto. A conversa pode ir um passo além e contar que o pênis e a vagina são usados para gerar os bebês. Quando chegar à adolescência e surgirem questões como a primeira menstruação, já terá sido trilhado um caminho desde a infância. Os adolescentes geralmente evitam falar sobre sexo. Para eles, livros podem ser um meio mais interessante.

 

 

Quais termos evitar?
Meu pai dizia que crianças más tinham sido deixadas pela cegonha em um bambuzal. Coisas assim são retrógradas. A criança precisa sentir que sua chegada foi um momento especial e também, entender, desde pequena, que seu valor vai muito além das questões de gênero.

 

 

E o papel da escola?
Cabe aos pais as primeiras lições de educação sexual. Às vezes, terceiriza-se para a escola a formação moral e ética. Na sala de aula, há um discurso médico-científico, que aborda o funcionamento biológico e a prevenção, mas não gera referências para o comportamento.

 

 

Como abordar a homossexualidade?
É importante mostrar que há vários modelos possíveis de família além do que há em casa e deixar claro que se trata de algo diferente dos estereótipos que aparecem na TV.

 

 

Como lidar com o erotismo na TV?
A criança não deve ser exposta a situações de sexualidade que ainda não consiga assimilar. Caso isso ocorra, os pais precisam abrir espaço para conversar sobre o que foi visto.

 

Fonte: Folha de São Paulo

 

Não deixe de conferir nossa FanPage: www.facebook.com/Dailybaby

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *