Desvende os mitos da hora de dormir: O Sono

desvende os mitos da Hora de Dormir O Sono

 

Desvende os mitos da hora de dormir: O Sono: Uma solução ou só mais uma promessa? Leia e me diga você.

 

 

Dessa vez, cumprindo o que prometi há 2 semanas, vou falar um pouco sobre uma linha que pode ser considerada menos agressiva, mais “humana”, mas que também requer uma predisposição, uma dose grande (algumas ou muitas vezes) de paciência e uma forma de agir, pensar e viver compatível com a metodologia proposta.

 

 

Assim como em todos os métodos conhecidos (e os que estão por vir), desde que seguidos de acordo com os “passos indicados”, vamos ouvir experiências de mães que usaram, que tiveram sucesso, assim como outras que, apesar de toda sua vontade e aplicação não teve o “problema de sono de seu filho” resolvido.

 

Sem mais enrolações, me acompanhem na abordagem do método “Soluções para noites sem choro”. Também vem de um livro, escrito por Elizabeth Pantley (site oficial dela, dos seus livros, com muito espaço para navegar). Ela se descreveu como mãe de 4 filhos (Angela-14, Vanessa-12, David-10 e a última, Coleton-2 anos, “razão do livro”) e uma educadora que resolveu compartilhar suas experiências, entre elas, as noites sem sono. Há 2 livros sobre Soluções para Noites sem Choro (para bebês até 1 ano e outro para crianças e pré-escolares de 1ano a 6 anos – links para textos em inglês).

 

 

Em ambos os casos, há muitas questões envolvidas. Para os bebês, a autora aborda temas como os cuidados com a cama compartilhada, horário mais adequado para dormir, como deixar seu bebê adormecido dormir, dicas sobre as situações em que seu bebê acorda toda hora à noite para mamar o seio ou a mamadeira. Já para as crianças maiores, fala a respeito das sonecas diurnas, os medos, pesadelos e terror noturno (que vamos abordar aqui em uma das próximas partes dessa série), a mudança do berço para a cama e as visitas noturnas ao quarto dos pais.

 

 

Esse método, segundo a autora, após ter sido aprovado para Coleton (sua filha) foi testado em um grupo de 60 mães voluntárias com crianças de um mês a 2 anos e 3 meses. Esse grupo era composto de mães de filhos únicos ou não, algumas praticavam cama compartilhada outras não, aleitamento materno, misto ou de mamadeira, enfim, um grupo bem heterogêneo. E, segundo seu relato, no 10º dia do método, 42% das crianças dormiam a noite toda, aumentando para 53% com 20 dias, 92% aos 60 dias. Ela não citou 100% em nenhum momento.Muitos temas para abordar, para conversar, mas vou me ater a uma “técnica” das mais difundidas em sua metodologia a respeito da qual vale a pena pensar.

 

 

Técnica de Remoção Gentil de Pantley

 

 

As bases do método

Alguns princípios considerados pela autora:

 

 

– O recém-nascido dorme quando tem sono. Difícil colocá-lo para dormir sem sono ou acordá-lo quando em sono profundo. A digestão do leite é rápida e eles precisam acordar entre 2 a 4 horas para se alimentarem.

 

 

– Quando ele vai dormir a noite toda? Para um bebê, especialmente um recém-nascido, uma esticada de 4 horas de sono é uma “noite completa”. Para que se atinja nossa expectativa de noite toda, pode-se levar até um ano ou mais.

 

 

– É comum um bebê dormir sugando (seio, mamadeira ou até mesmo chupeta). Se ele sempre adormece assim, é mais do que natural que ele faça a associação sugar-dormir. A luta contra a natureza nunca é fácil e normalmente se sai perdendo. Assim, para que seu bebê não faça essa associação, é fundamental que ele sugue até estar sonolento, mas não totalmente adormecido. Quando puder, retire o seio, a chupeta ou a mamadeira (essas duas últimas poderiam ser evitadas ao máximo – segundo opinião da SBP, da OMS e minha) da boquinha do bebê e deixe que ele termine de adormecer sem nada na boca. A repetição dessa prática o ensinará a adormecer sem sugar.

 

 

– Até quando alimentar à noite? Apesar de haver a recomendação de não deixar um bebê dormir mais de 4 horas sem mamar, há crianças que, desde cedo, durante a noite, até passam desse intervalo. Bebês emitem muitos sons quando dormem (gemem, grunhem, fungam, resmungam e até choram) e, na maioria das vezes, dormindo. Observe. Se o bebê acordar e estiver com fome, alimente-o para que volte a dormir. Mas se ele estiver dormindo, deixe-o dormir.

 

 

– Diferenciar o dia da noite. Um recém-nascido dorme de 16 a 18 horas por dia, em cerca de 6 a 7 períodos de sono. Ajude-o a diferenciar o dia (sonecas em quartos mais claros, onde ele possa escutar os sons do dia) da noite (quarto mais escuro, silencioso). Banho, massagem e pijamas podem ser sinais de que esse será o sono da noite.

 

 

– Sonecas diurnas são importantes para crescer, desenvolver e dormir melhor à noite. A autora disponibiliza uma tabela, onde ela coloca “didaticamente”, de acordo com a idade do bebê, o número de sonecas e sua duração, as horas de sono noturno e o total de sono de uma criança, explicando sua importância na recuperação de sua energia, na sua adaptação, na sua atenção e no seu humor.

 

Fonte: UOL Bebê

 

Não deixe de conferir nossa FanPage: www.facebook.com/Dailybaby

 

Idade Número de Cochilos Duração Total de Cochilos (horas) Horas de Sono Noturno Total de Sono (horas)
1 mes 3 6 a 7 8 a 10 15 a 16
3 meses 3 5 a 6 10 a 11  15
6 meses 2 3 a 4 10 a 11 14 a 15
9 meses 2 2 a 4 11 a 12 14
12 meses 1 a 2 2 a 3 11 a 12 13 a 14
2 anos 1 1 a 2 11 a 12 13
3 anos 1 1 a 2 11 12
4 anos 0 0 11 11
5 anos 0 0 11 11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *