Amamentação e cia.

Depois de passado o dia especial do nascimento do bebê, as mães começam uma nova fase da vida. Estão diante de muitas novidades e de um caminho de aprendizagens.

 

 

Uma dessas é a amamentação. Muito já se sabe sobre como amamentar e evitar o uso de bicos e mamadeiras, graças às campanhas do Ministério da Saúde. Mesmo assim, permanece um assunto cheio de mitos e muitas dúvidas. Ainda mais quando aparecem conselhos com ideias diferentes, que acabam minando a confiança da “recém-nascida mãe”.

 

amamentacao_dailybaby

 

 

A amamentação também é um processo em que a mãe e o bebê estão se conhecendo e aprendendo juntos. Por isso, quando houver algum desconforto ou dúvida, sempre é útil buscar ajuda de um profissional. Podem surgir algumas dificuldades iniciais, mas quanto mais se pratica, mais fácil fica. E aos poucos se torna mais prazerosa e tranquila.

 

 

Pode ficar a pergunta: e como faço para chegar ao ponto do prazeroso e tranquilo? Será que depende só da mãe do bebê? Certamente que não!

 

 

A amamentação não é apenas a saída do leite. Outras questões aparentemente sem conexão estão interligadas na produção e ejeção deste rico alimento.

A mãe precisa de alguns cuidados para que se sinta disponível para o bebê, que mama em livre demanda, ou seja, de acordo com suas necessidades e sem horários fixos.

 

 

Então, algumas dicas para o começo da adaptação:

 

 

– Envolver seu parceiro ou familiar, amiga(o) na amamentação. Isso significa ter alguém de sua confiança, que entenda a importância do aleitamento materno e deixe que a mãe se dedique, colocando questões domésticas de lado, e proteja a dupla quando alguém estiver atrapalhando seu descanso ou momento de alimentação.

 

 

–  Descansar quando o bebê dormir.

 

 

– Lembrar que precisa se alimentar com refeições e lanches nutritivos. O leite não perde a qualidade se a mãe estiver mal nutrida, mas pode deixar sua saúde mais sensível. E agora é preciso também se cuidar para poder cuidar bem do bebê.

 

 

– Hidratar-se. Lembre de ter água por perto nos locais onde geralmente amamenta.

 

 

– Evitar resolver problemas que outras pessoas podem fazer por você. Só você amamenta, os familiares podem ajudar com a casa, compras, limpeza etc.

 

 

– Deixar os problemas do mundo externo bem longe. Neste momento a sensibilidade está maior e vale a pena proteger-se de fatores estressores (ex: noticiários).

 

 

– O fator emocional está envolvido no processo de amamentação. Sem dúvida é um momento de mudanças hormonais e de adaptações. É necessário se cuidar, ter carinho e reconhecer que está fazendo uma grande tarefa. Para conseguir ter cuidado com seu estado emocional, peça ajuda quando precisar, foque no que é mais importante e deixe o que não puder fazer para depois. Seu conforto físico e emocional também merecem atenção.

 

 

– Localizar sua rede de apoio (familiares, amigas, vizinhos, profissionais). A mãe precisa ser bem cuidada e apoiada na amamentação.

 

 

– Informe-se sobre posições para amamentar, pega correta no seio, como evitar fissuras etc. Também se há em sua cidade redes de apoio à amamentação, como maternidades, grupos de mães, mulheres que amamentaram, profissionais envolvidos com aleitamento materno. Mais informações podem ser pesquisadas no site Aleitamento.com.

 

 

Cuide-se com carinho. Você merece e seu bebê agradece também!

 

 

Juliana Sell

Apoio Materno

Facebook: Apoio Materno por Juliana Sell

Blog: apoiomaterno.blogspot.com

Fone: 9183 0250

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *